Latest news

O fim

Novo Saw V poster

Mais dois filmes para Rid...

Críticas pessoais- Hellbo...

Estreias nacionais

Novas imagens para Watchm...

Harry Potter and the half...

Ghost town poster

Star trek poster

Estreias nacionais

Terça-feira, 1 de Julho de 2008

Críticas pessoais- O incrível Hulk ( The incredible Hulk )

Melhor: A cena final com a Abominação

Pior: fraco desenvolvimento de Banner, uma primeira parte estagnada

 

Em O incrível Hulk, Bruce Banner continua a sua desesperada procura pela cura que o tornará normal outra vez. Tomando refúgio nas favelas do Rio de Janeiro, Bruce Banner vai tentando controlar a sua fúria, causada por uma experiência com raios gamma.  No entanto, o General Thunderbolt continua a sua procura por Bruce e a sua ‘arma’: o soldado perfeito. Para isso, recruta um dos melhores soldados para o apanhar, mas este torna-se ganancioso e quer o poder de Banner para si. Ele se transformará em a Abominação! O confronto será destruídor...

É quase impossível começar esta crítica, sem referênciar a adaptação de Ang Lee em 2003. Pois esta nova versão só vem mostrar que todo o trabalho que Lee fez foi menosprezado. Muitos dos fãs não gostaram e a Marvel decidiu fazer um novo filme com um elenco e realizador completamente novo. Ao contrário da maioria, eu sou a favor da versão de Ang Lee ( vou ser aqui crucificado por muitos, mas pronto é a minha opinião... ). Essa versão de Lee, tem um desenvolvimento pessoal e sentimental de Banner espantoso, a sua realização é concentrada ao ponto de reter vários aspectos próprios de Hulk. Ele, próprio, fez os movimentos do monstro verde. E ao ver esta nova versão, confesso que prefiro os movimentos mais ‘animalescos’ de Lee, apesar de claro, adorar o Hulk smash! O elenco de 2003 é muito mais forte que este, mesmo Norton não consegue dar o espírito de Banner. A sua personagem torna-se de certa maneira mais supérflua. Em o incrível Hulk, Hulk sobrepõe-se sobre Banner, ao contrário da versão de Lee. Temos uma introdução flash dos eventos que levaram a Banner ser aquilo que tem que enfrentar todos os dias, e para quem nunca tivesse visto qualquer adaptação ( seja em série ou filme ), não perceberia o que realmente Banner está a passar. O seu querer de ser normal, a sua impotência para com a sua ‘doença’. Para mim, o filme perde muito por isso.

Os fãs pediram e a Marvel fez... Fez um filme com acção de encher o olho, com actores de renome, e é um facto que depois do êxito de Iron man, este Hulk também o seria. E a meu ver, se estes dois pudessem ser um só filme, seria uma obra de arte, pois eles completam-se um ao outro. Onde um falha, o outro supera tudo e mais alguma coisa.

Após um início flash, o filme ressente-se um pouco, com um ligeiro abrandamento de pacing. A primeira parte do filme deveria ter sido melhor pensada ou construída de maneira diferente. Chegamos ao intervalo com um sabor amargo na boca, sabe a pouco este Hulk e uma pessoa começa a pensar se o filme realmente vai arrancar ou não. Tudo muda, a acção fervorosa de Louis Leterrier ( The transporter  2 ) toma as rédeas do filme, culminando num fim fulgoroso entre duas criaturas monstruosas. Apesar dessa segunda parte muito boa, não podemos deixar de culpar o realizador que está ansioso por colocar ritmo na película e não consegue lidar com a parte de desenvolvimento de carácter. Algo que Lee, ao contrário, fez muito bem.

Tal como disse anteriormente, o elenco é outro. Temos um novo vilão! Desta vez é a Abominação que vai fazer frente  a Hulk. Gostei da interpretação de Tim Roth, mas penso que ele não teve o carisma para interpretar o vilão Abominação. Tal como, para mim, Norton não conseguiu ter a aura de Bruce Bannner. Quanto à nova Betty Ross, Liv Tyler não conseguiu dar a dimensão de Jennifer Connelly, que é muito melhor actriz que ela. Sei que estou a comparar os dois filmes, mas impossível deixar de o fazer, porque acho que Lee não foi totalmente compreendido.

De todos, o General Ross foi o que mais me captivou o olho. William Hurt conseguiu interpretar realmente o papel de Ross, duro e mau. Em Hulk ( 2003 ), Sam Eliott teve muito soft.

O incrível Hulk é mais um bom blockbuster a juntar a este Verão. Apesar de um início um pouco soft, o fim é muito enérgico!

 

'Hulk smash!'

Published by Dreamweaver às 10:26
Post link | Comment | Add to favorites
3 comentários:
De rosacuriosa a 1 de Julho de 2008 às 12:47
Fui ver e confesso que fiquei desapontada. Por saber que queriam fazer uma melhoria face ao filme de Ang Lee pensei mesmo que vinha aí um super filme :) é um filme que entretem mas fica muito áquem das expectativas que eu tinha *
De Dreamweaver a 1 de Julho de 2008 às 14:27
Pois, foi como eu. Estava à espera de mais, já que queriam fazer uma versão melhor de 2003.
Cumprimentos
De Hugo Gomes a 1 de Julho de 2008 às 21:14
Mauro, eu estou contigo, o Hulk de Ange Lee é muito melhor que este!!!!

Comment post

Author

Search

 

Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Filme da semana