Latest news

O fim

Novo Saw V poster

Mais dois filmes para Rid...

Críticas pessoais- Hellbo...

Estreias nacionais

Novas imagens para Watchm...

Harry Potter and the half...

Ghost town poster

Star trek poster

Estreias nacionais

Quinta-feira, 3 de Janeiro de 2008

Críticas pessoais- Eu sou a lenda ( I am legend )

Melhor: a premissa, a 'nova' Nova Iorque, alguns dos efeitos visuais

Pior: filme inconstante e por vezes incoerente, o fim

 

Comentário

Tudo começa quando uma cientista ( cameo de Emma Thompson ) pensa que descobriu finalmente a cura para o cancro, mas apenas liberta um vírus mortal que aniquila práticamente a população mundial. A história, no entanto, centra-se num sobrevivente, imune ao vírus, que reside no centro de Nova Iorque com a sua cadela. Este é Robert Neville ( Will Smith ), um cientista que procura desesperadamente a cura. Este homem que parece estar sozinho, não está... algo mais reside na frieza da escuridão pronto para o atacar.

A premissa do filme é mesmo muito boa e interessante,  e desde o princípio do ano passado que tenho acompanhado todos os desenvolvimentos do filme. Eu gosto particularmente de cenários apocalípticos,  e o facto de um homem sozinho ter que enfrentar algo tão terrível fez-me ansiar muito por este filme. Tudo estava no lugar para que este fosse o filme do fim de ano, mas as minhas expectativas caíram por terra com o desenrolar do filme. É um facto que existem mesmo bons momentos, mas a inconstante do filme faz com que uma pessoa passe de saltar da cadeira com os sustos das criaturas, para um sono imerso no aborrecimento de conhecer uma personagem só que interage com a sua cadela e manequins! No entanto, este filme consegue obter o clima e claustrofobismo que um filme da franchise Resident evil deveria ter. Era talvez essa uma das minha prioridades, algo que me pudesse fazer esquecer essa miséria de filme e que se inspirassem em Eu sou a lenda para fazerem um Resident evil decente. Mas até Eu sou a lenda é incoerente! Existem cenas que uma pessoa se questiona como é que isto pode acontecer. Só deixo um exemplo, para não estragar a vossa ida ao cinema, porque mesmo assim merece ser visto, nem que seja pela excelente composição visual de Nova Iorque. Existe uma cena em que Robert Neville cai numa armadilha e a sua cadela salva-o de cães infectados com o vírus. Quando ambos estão completamente vulneráveis e imersos na escuridão que ocupa Nova Iorque, porque é que essa nova espécie ( uma mistura de vampiros com zombies ) não o ataca? Inexplicável! Mas nem isso é o pior! O fim do filme é tão previsível que até dói. É incrível que com uma premissa tão bem elaborada, o filme caia num cliché.

Will Smith tenta ser um one-man-show tal como Tom Hanks em O náufrago, mas com momentos tão aborrecidos, nem isso consegue. A sua personagem tenta ser alguém com que uma pessoa se possa relacionar, mas por vezes as cenas são tão imbutidas e os diálogos tão chatos, que Will Smith não passa a ser mais do que um herói sem glória.

Quanto às criaturas, estão interessantes, mas talvez um toque mais de make-up em vez de digitalizá-las pudesse dar-lhe um tom mais realístico e assustador.

Infelizmente é mesmo isso, um filme que cai 'no tenta ser', mas perde-se a redondamente e torna-se num cliché que só traz uma Nova Iorque tornada numa selva urbana com poucos mas bons momentos, mas só isso mesmo. Pena, mas quem estava à espera de algo realmente bom, fica bastante decepcionado como eu.

 

'The world is quieter now. We just have to listen. If we listen, we can hear God's plan.'

Published by Dreamweaver às 17:30
Post link | Comment | Add to favorites
3 comentários:
De Hugo Gomes a 3 de Janeiro de 2008 às 19:20
Veio por este meio informar que o resultado da votação para os Cinebloggers Awards chegou ao fim. Poderão conferidos vencedores das diferentes categorias neste link http://cinematograficamentefalando.blogs.sapo.pt/101770.html
Lanço desde já um desafio que caso se for o criador de um dos blogs vencedores terão que postar um criativo discurso digno do festival dos Óscares.
Cumprimentos Cinéfilos e Bons Filmes.
De Hugo Gomes a 3 de Janeiro de 2008 às 19:22
Penso que é um blockbuster capaz, com um grande enfase dramatico. Para mim teve alguns dos momentos altos de 2007, mas tenho que concordar que o final foi um porco apressado, mas tb disse na minha critica porque a narrativa assim o quis, não consigo ver outro final possivel que fosse melhor que o transposto (não estou a insinuar que o final foi muito bom).

Cumprimentos
De Ricardo Fernandes a 3 de Janeiro de 2008 às 21:53
O filme é de facto bom. Podia ser genial, mas não chamaria tanta gente às salas de cinema. Creio que o intuito da produção foi mesmo fazer dinheiro e não um filme "pensante" como o "Children of Men". Um abraço!

Comment post

Author

Search

 

Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Filme da semana